29
Ago
Quem, durante o Verão, preferiu as saladas, as sopas e a fruta, em princípio não terá de se preocupar com suplementos vitamínicos, dado que uma alimentação variada e equilibrada é já composta por todos os nutrien­tes necessários para o bom funcionamento do organismo.

Por outro lado, quem passou as férias a fazer refeições rápidas na rua, à base de sanduíches, pizzas, hambúrgueres e gelados, o melhor será equilibrar e repor as carências nutricionais de uma alimentação rica em calorias, mas pobre em nutrientes.

O trabalho e as aulas estão à porta e exige-se o melhor desempenho possível, tanto físico como intelectual.

«Uma alimentação variada dispensa qualquer tipo de suplementos vitamínicos. Pode haver casos excepcionais de carência de ingestão de alimentos, doenças como a diabetes ou em que não há uma boa absorção intestinal, em casos de grande desgaste físico, de stress ou em fumadores dado que o tabaco é um pró-oxidante, como tal recomenda-se um suplemento de antioxidante», explica o Dr. Nuno Nunes, nutricionista do Hospital de São Bernardo, em Setúbal.

«Pode também haver outros casos especiais em que os suplementos vitamínicos são fundamentais.»

«É o caso dos doentes com obesidade mórbida, sujeitos a colocação de banda gástrica, que têm dietas muito restritivas e têm nos suplementos a única forma de repor todos os nutrientes que não ingerem nos alimentos.»

«Pessoas que tenham alergia a vegetais ou into­lerância a qualquer outro alimento podem também substituí-los por suplementos», acrescenta o especialista.

Esta notícia já foi consultada 3396 vezes
 
Publicidade