4
Dez
1 - Objectivos.
A Associação Portuguesa de Deficientes (APD), com o patrocínio da Merck Sharp & Dohme (MSD), institui o Prémio Dignitas, destinado a premiar os melhores trabalhos, publicados ou difundidos nos media portugueses, por profissionais da comunicação social, cujo tema seja a deficiência e que promova a dignidade das pessoas com deficiência, os seus direitos humanos e a inclusão social.

2. Âmbito e Periodicidade
O Prémio de Comunicação Social “Dignitas” é atribuído anualmente, aos jornalistas autores dos melhores trabalhos sobre deficiência, publicados no ano anterior, em qualquer meio de comunicação social, independentemente do suporte utilizado, Imprensa, Rádio, Televisão ou Internet.

3. Prémios
1.º Prémio com o valor de 5.000,00€
2.º Prémio com o valor de 2.500,00€
3.º Prémio com o valor de 1.250,00€

Poderá o Júri atribuir Menções Honrosas.
Os prémios serão pagos através de transferência bancária em conta cujos titulares sejam os premiados.
Por decisão do Júri o Prémio Dignitas poderá não ser atribuído em qualquer das categorias mencionadas no ponto 3, caso nenhum dos trabalhos preencha os requisitos fixados pelo Júri.

4. Anúncio e entrega
A atribuição dos prémios será efectuada anualmente no dia 21 de Fevereiro, Dia Internacional da Língua Materna.
A publicação dos premiados será efectuada nas páginas Web da APD e da MSD e amplamente divulgada junto dos órgãos de comunicação social.

5. Candidaturas
As candidaturas podem ser apresentadas individual ou colectivamente, podendo concorrer profissionais da comunicação social, portugueses ou residentes em Portugal.

As matérias/reportagens a concurso terão de ser necessariamente editadas em português.

O prazo-limite para o envio das candidaturas é o dia 15 de Janeiro do ano seguinte àquele a que o prémio se reporta (para o Prémio Dignitas 2008, as candidaturas podem dar entrada até 15 de Janeiro de 2009, inclusive).
As candidaturas podem ser entregues pessoalmente ou enviadas pelo correio, registadas e com aviso de recepção, com carimbo dos CTT não ultrapassando aquela data-limite, para a sede nacional da Associação Portuguesa de Deficientes, sita no Largo do Rato, 1B – 1250-185 Lisboa.

6. Elementos obrigatórios do processo de candidatura:

a) Duas cópias de cada uma das matérias jornalísticas publicadas e colocadas a concurso (em papel, fita magnética, ou qualquer suporte digital);

b) Ficha de inscrição, devidamente preenchida e assinada pelo autor ou pelo representante da equipa, quando o trabalho for colectivo;
A ficha de inscrição está disponível nas páginas de internet da APD – www.apd.org.pt e da MSD – www.msd.pt.

c) Cópia da carteira profissional actualizada do autor ou do representante da
equipa candidata, fazendo prova da qualidade de jornalista;
d) Documento certificativo, assinado por elemento da direcção do meio de Comunicação Social onde se procedeu à divulgação da matéria ou matérias a concurso, fazendo prova das respectivas datas de publicação (Esta obrigação aplica-se nos casos em que a prova documental, da matéria jornalística anexa ao processo de candidatura, não permite uma fixação clara da data de edição ou emissão).

6. Júri
Para o ano de 2008 o Júri será composto pelos seguintes elementos:

Humberto Santos - Associação Portuguesa de Deficientes
António Belo – Presidente da Escola Superior de Comunicação Social
Ana Sofia Monteiro – Amnistia Internacional
Paulo Neves – Professor do Instituto Superior de Psicologia Aplicada
Mário de Carvalho – Escritor

O júri é soberano para decidir sobre casos omissos e da sua decisão não cabe recurso.

Mais informãções em:
Esta notícia já foi consultada 1108 vezes
 
Publicidade