11
Dez
Mais de 200 pessoas, entre portadores de deficiência, familiares, amigos e entidades do concelho, participaram, no passado sábado, no jantar de comemoração do 17.º aniversário da Associação Portuguesa de Deficientes (APD) de Paredes. A iniciativa pretendeu também celebrar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência (3 de Dezembro).

Perante uma sala cheia, os problemas de acessibilidade do município não foram esquecidos, com a vereadora da Acção Social da Câmara a garantir que ainda há muito para fazer, mas que estão atentos à situação.


Mais que apoios quer-se uma mudança de mentalidades

Agora quase a atingir a maioridade, esta Associação "que trata das pessoas com deficiência, há 17 anos, começou com quase nada", recordou Adão Barbosa. Força de vontade e pessoas que acreditaram fizeram o resto, continuou o presidente deste núcleo da APD.

Neste "encontro de amigos", que pretendeu festejar as barreiras que se foram quebrando e em que se abordou a deficiência como uma diferença, Adão Barbosa realçou que mais importante que os apoios financeiros é a alteração de mentalidades o grande objectivo da APD.

O próximo grande projecto, já em curso, é o de instalar um Centro de Atendimento e Animação na sede da Associação, onde estarão uma psicóloga, uma assistente social e um administrativo para fazer acompanhamento aos associados. "Já foi feito levantamento das exigências da segurança social em questões de segurança e higiene", revelou o responsável da APD, dizendo que os custos ascenderão a oito mil euros.


"Há muito a fazer", garante a vereadora Hermínia Moreira

A representar a Câmara Municipal estiveram Hermínia Moreira e Cândido Barbosa. A vereadora da Acção Social assegurou a vontade do município em trabalhar em conjunto com a APD no sentido de "criar melhores condições para os portadores de deficiência, que não devem ser discriminados". "O problema da deficiência não deve ser visto de forma isolada", mas como transversal a várias áreas, disse Hermínia Moreira, defendendo também que a sensibilização e consciencialização são o caminho a seguir.

No campo das acessibilidades, "há muito a fazer", garante. Essa é uma situação que preocupa, mas muito já se tem feito e "ao nível das freguesias os próprios presidentes de junta estão atentos à situação", afirmou.

Depois de cantados os parabéns à APD a festa ainda continuou com animação musical.
Esta notícia já foi consultada 1361 vezes
 
Publicidade