21
Fev
Resultados do Prémio Dignitas divulgados.

A reportagem “O silêncio dos dias”, da autoria de Maria Augusta Casaca da rádio TSF, foi a grande vencedora da segunda edição do Prémio Dignitas, uma iniciativa da Associação Portuguesa de Deficientes (APD) com o patrocínio da companhia farmacêutica MSD (Merck Sharp & Dohme).

O júri, constituído por elementos da APD, da Amnistia Internacional, da Escola Superior de Comunicação Social (ESCS), do Instituto Superior de Psicologia Aplicada (ISPA) e pelo escritor convidado Mário de Carvalho, revelou hoje, em cerimónia realizada na ESCS, os três trabalhos vencedores da edição de 2009. A avaliação, seguindo os parâmetros da promoção da dignidade, dos direitos humanos e da inclusão social das pessoas com deficiência, recaiu sobre um total de 19 trabalhos colocados a concurso: 11 de Televisão, 6 de Imprensa e 2 de Rádio.

O primeiro prémio, no valor de cinco mil euros, foi atribuído ao trabalho “O silêncio dos dias”, candidatura apresentada pela jornalista Maria Augusta Casaca, o segundo prémio, no valor de dois mil e quinhentos euros, aos trabalhos “Aprender a ver uma nova vida”, do jornalista Daniel Lam do Diário de Notícias, na categoria Imprensa, e “A tinta dos afectos” do jornalista Pedro Benevides da RTP, na categoria Televisão.

Devido à excelência dos trabalhos apresentados, o júri decidiu atribuir cinco menções honrosas. Assim, os trabalhos que se distinguiram foram “Crianças diferentes – acabar com a discriminação”, da jornalista Cláudia Pinto, “Ensaio sobre a cegueira”, da jornalista Liliana Garcia, “Lutador nato”, do jornalista Jaime Cravo, “Escola de cegos”, da jornalista Rita Nogueira, e “O amor não é cego” da jornalista Mónica Baltazar.

O prémio Dignitas, instituído pela APD e patrocinado pela MSD, destina-se a jornalistas de língua portuguesa e premeia os melhores trabalhos, publicados nos media nacionais ao longo do ano, cujo tema tenha sido a deficiência e que, simultaneamente, tenham ajudado a promover a dignidade das pessoas com deficiência, os seus direitos humanos e inclusão social.

De modo a dar continuidade à promoção de trabalhos jornalísticos sobre a temática da deficiência, a iniciativa da APD vai prosseguir com nova edição. Desta forma, os jornalistas com trabalhos que tenham sido ou venham a ser publicados ao longo deste ano sobre a deficiência nas suas várias vertentes e perspectivas podem preparar as suas candidaturas ao Prémio Dignitas 2010.

José Machado
Esta notícia já foi consultada 1528 vezes
 
Publicidade