11
Mar
Chamaram-lhe "Mãe Coragem", mas é não é preciso Coragem para Amar Incondicionalmente, um filho, cuja perfeição se esconde debaixo de uma "imperfeição" estampada no rosto. Deus escolhe os pais das crianças com deficiência, nem sempre acertando na aposta, porque sabe o amor que esses pais darão a esse filho e o que esse amor fará despoletar nessa criança, e o reflexo desse amor na família e na comunidade em que está inserido.

É o espelho desse Amor Incondicional, o que ele reflete, e o que enriquece aqueles pais, que directa ou indirectamente irá transbordar para outros, para a sociedade civil.

Todos falamos de responsabilidade do Estado e da sociedade em fazer algo que contribua para uma mudança de comportamentos, mentalidades e atitudes. Mas antes de falarmos em responsabilidade no colectivo, há-que fazer uma introspecção e falar da responsabilidade que cada um de nós, como individuo tem, para dar o seu contributo.

Esta mãe, é o que faz, esta é a sua responsabilidade individual, ou seja a de partilhar um caminho, que sendo dificil e sinuoso, não deixa de ser Iluminado, Abençoado e Enriquecedor. Esta é uma mãe proactiva, que pretende fazer do seu testemunho de vida, na 1ª pessoa, uma ferramenta que possa contribuir para a construção de um caminho, rumo ao Futuro, onde Inclusão, Integração e Respeito sejam realidades consolidadas.

A Deficiência deverá ser encarada, o quanto antes, com a Naturalidade, Normalidade e Respeito que merece e só assim e neste âmbito a sociedade estará pronta a receber todos aqueles que com mais dificuldades, mais limitações, menos saude possam dar o seu contributo à Sociedade, à Nação.

Sendo esposa, mãe, tia, madrinha e amiga de pessoas com deficiência, esta mãe pretende com esta sua partilha de testemunho abrir caminho a todas as crianças e jovens com deficiência para que a Sociedade lhes proporcione uma oportunidade de igualdade, para num amanhã próximo, elas possam aceder a uma igualdade de oportunidades e ajudar a Nação a engrandecer no seu esplendor.

Todos são capazes de algo, se a porta da Oportunidade, da Tolerancia, da Solidariedade, da Integração, da Inclusão e do Respeito se abrir numa só !


Para quem não pode ver aqui o programa, abaixo tem a ligação ao video.!

Esperamos que possa ajudar a desmistificar o assunto e dar uma visão mais positiva da temática e contribuir para mais uma barreira de preconceito eliminada.

Este livro tem também o objevtivo de poder ser um guia, não só de procedimentos, dicas e sugestões, mas de emoções, e que poderá se-lo para qualquert pai ou mãe de uma criança. Porque o AMor não contabiliza deficiências é Incondicional!

Artigo redigido em estreita interacção entre o ajudas.pt e a Sandra Morato, como um alerta à consciencialização e sensibilização da Deficiência, e do seu papel no Futuro.
Esta notícia já foi consultada 2825 vezes
 
Publicidade