29
Jul

A primeira viagem na cadeira tiralô inaugurada
As praias do concelho da Lourinhã triplicaram este ano o número de bandeiras atribuídas no âmbito do projecto “Praia Acessível, Praia para Todos”, do Secretariado Nacional para a Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência.

Além de Valmitão, a única galardoada em 2005, a Praia da Areia Branca e Porto Dinheiro hastearam também a bandeira, dia 13, colocando a Lourinhã no primeiro lugar dos concelhos do Oeste, com maior número de galardões içados, seguindo-se Torres Vedras, Peniche e Caldas da Rainha.

A autarquia, ainda no decorrer do ano passado, procurou dotar estas praias de equipamentos que permitissem criar condições para o acesso de pessoas com mobilidade condicionada, nomeadamente através da colocação de passadeiras de madeira com corrimões e da instalação de casas-de-banho amovíveis para deficientes, o que facilitou a viabilização das candidaturas apresentadas.

A partir desta época balnear, a Praia da Areia Branca passa a dispor de uma cadeira de rodas anfíbias, que facilita o acesso de pessoas com mobilidade reduzida do areal até à zona de banhos. A chamada cadeira “tiralô” existia já em Valmitão e Porto Dinheiro, praias galardoadas com a Bandeira Azul. Segundo o vice-presidente da Câmara Municipal (CM), trata-se de um investimento “insignificante”, já que “o que interessa é o apoio que dá a todos os cidadãos deficientes”.

Apesar de a bandeira ter sido atribuída a Porto Dinheiro, a bandeira da acessibilidade não foi içada naquele dia, uma vez que a autarquia aguarda a chegada de uma nova rampa. João Duarte Carvalho explicou que é intenção da CM vir a colocar o equipamento “no centro da praia em vez de ser a um extremo”, de modo a melhorar significativamente o acesso a esta praia que, pelas suas condições de localização, nem sempre é facilitado.

O Projecto “Praia Acessível, Praia Para Todos” foi lançado pela Comissão Nacional de Coordenação para o Ano Europeu das Pessoas com Deficiências, com a finalidade de tornar acessíveis as praias portuguesas, sensibilizar os cidadãos para a problemática das pessoas com mobilidade condicionada e divulgar as praias com acessibilidade, mobilizando as autarquias locais e os concessionários das estâncias balneares.

Os critérios considerados para a aprovação das candidaturas passam pela criação e melhoramento de passadeiras de acesso pedonal ao areal e à zona de banhos, instalações sanitárias adaptadas, cadeiras de rodas ou outros instrumentos auxiliares, tendo em vista a possibilidade de as pessoas com mobilidade condicionada acederem à água, estacionamento ordenado com lugares para deficientes e acesso ao posto de socorros.

Além da Bandeira Azul e da Bandeira da acessibilidade, quatro praias (Areia Branca, Paimogo, Porto Dinheiro e Valmitão) foram distinguidas com a “qualidade de ouro”, pela associação ambientalista Quercus, que teve em conta as praias cujas análises às águas revelaram sempre boa qualidade, entre 2001 e 2005.

Jornalista:Flávia Calçada

Esta notícia já foi consultada 1838 vezes
 
Publicidade